9 de junho de 2008

RIP VAN WINKLE

Sonhei uma tarde
Sob sombra das árvores
Somente algumas horas,
Mas sonhos tamanhos.
Vira fada e duende
Brincando com estrelas,
Maravilhas e sabores.

Acordei barbudo,
Cheio de rugas,
As costas curvas
As pernas fracas.

Tudo mudado,
Amores mortos
Meninas casadas
Crianças crescidas.

Agora nada resta
Além da floresta onde espero
Meu último sono fatal.

Um comentário:

Caco disse...

Eu também tenho um escritinho inspirado em RIP VAN WRINKLE. Não que eu seja lá um poeta, mas...


RIP VAN WRINKLE

O Inferno,
Desconheço.
O Diabo,
Imagino.
O castigo,
Suponho.

À bebida,
À companhia de fantasmas,
Havidas na noite da montanha,
Seguiu-se o sono.
Dias chegaram,
Dias morreram;
Guerra teve início,
Teve meio e final
Antes que eu despertasse,
Envelhecido.

O Inferno,
Desconheço.
O Diabo,
Ganhou parceira.
Meu castigo,
Adiado.

Saudações
Caco (Cardiem)